Wanderlust #2 Nepal

O destino de hoje fica entre as florestas indianas e as paredes do Himalaia. Desde quando o país abriu suas portas para o mundo nos anos 50, a pequena nação das montanhas se tornou um paraíso místico para viajantes e um verdadeiro nirvana para os aventureiros das montanhas.

Cada vez que pesquisávamos à respeito, ou víamos uma sessão fotográfica feita por aquelas bandas, ficávamos mais deslumbrados com a beleza e a cultura local. Por esse motivo, o país está no início da nossa lista de destinos futuros. Esse paraíso oferece desde caminhadas e trilhas, que levam até o Everest, raftings e esportes radicais como o bungee jump, até canoagem, escaladas, e trilhas de bicicleta, o que atrai viajantes de alma aventureira, sendo esse um dos principais motivos pelos quais o país vem sendo tão procurado atualmente.

A vista para o Himalaia certamente oferece uma das paisagens mais dramáticas que existem. Seus picos com neve, suas cidades da época medieval, seus mosteiros e templos, peregrinos budistas em suas caminhadas espirituais e seus vales são apenas alguns dos presentes que o Nepal oferece.

Vale mencionar que esse destino é perfeito para mochileiros, pois oferece vários roteiros alternativos, diferentes daqueles oferecidos em agências de turismo. Para conhecer o país é necessário apenas disponibilidade física e tempo para aproveitar todas as atrações disponíveis.

Curiosidades:

A Capital do Nepal é Katmandu

A moeda do Nepal é a Rupia Nepalesa (NPR) e a língua oficial é o nepalês.

As religiões oficiais são o hinduísmo e o budismo.

No Nepal existem mais de 70 grupos étnicos, o que torna a cultura do país extremamente rica.

Foi no Nepal, mais especificamente na cidade de Pokhara, que nasceu Sidarta Gautama, mais conhecido como Buda.


Para entrar no país é necessário visto, que só é concedido na entrada do país, sob pagamento de taxa. Para conseguir o visto, é necessário duas fotos do tamanho do passaporte (é obrigatório que o fundo delas seja branco), e o comprovante de que você foi vacinado contra a febre amarela. Outro requisito obrigatório é que o passaporte do turista tenha validade de pelo menos seis meses após a data de retorno ao seu país de origem.

  
Fotos: Lonely Planet, National Geographic e Fine Art America

Ásia,Destaques,Dicas,Natureza,Wanderlust Bruna Sturzbecher 16 fev 2015

Deixe seu cometário