Fotógrafa camufla modelo entre as Maravilhas do Mundo Moderno

A fotógrafa e artista Trina Merry já é conhecida no ramo por suas fotos, que mesclam arte corporal com técnicas fotográficas. Sua série intitulada “Lost in Wonder” não poderia ser diferente: ela uniu seu trabalho de arte com fotografia e criou imagens surreais de pessoas camufladas entre algumas das sete maravilhas do mundo.

Para isso ela contou com a ajuda do modelo britânico Kyle James, que foi quem pousou entre os lugares escolhidos. Entre idosos procurando o melhor ângulo para foto e casais apaixonados tirando selfies em lua de mel, Trina fez uma análise entre o impacto turístico e boas memórias de viagem; o que faz um destino ser desejado e a arquitetura presente nesses lugares. Ela queria muito entender o que faz um lugar ser “maravilhoso” e por que essas estruturas físicas são tão importantes na história. Para ela, é incrível como as pessoas idealizam os lugares, mas uma vez que os conhecem, saem com algumas selfies para mostrar aos amigos, uma lembrancinha e a decepção estampada no rosto, na maioria das vezes.

Trina se interessa muito pela cultura do selfie: “por que as pessoas viajam para esses lugares apenas por um momento, para tirar uma foto de si mesmos e se exibirem para os amigos? Isso tira o foco das estruturas arquitetônicas e seus significados.” Seu maior interesse é o método utilizado pelos seres humanos para criar memórias e como essas memórias são digitalizadas pelo mundo.

Ela e o modelo viajaram para cada um dos lugares com um guia exclusivo, sempre que possível. Depois, ela retornava para o local e observava a arquitetura, as marcas do tempo, a energia das pessoas e os efeitos do turismo em casa lugar. Só então é que ela voltava (mais uma vez) para criar seu trabalho, que durava, em média, 1-3 horas.

“Muitos fotógrafos dizem que “tiraram” uma foto. Em lugares turísticos tão importantes como esses, há uma quantidade massiva de consumidores “tirando” algo desses ambientes sem nem ao menos apreciar o espaço, a história e a cultura das pessoas que um dia criaram aquelas estruturas. Artistas são criadores de cultura, portanto, eu não poderia fazer o mesmo que eles. Nós “criamos” uma imagem e devolvemos a energia para os lugares. Eu queria observar como era a sensação de nos despirmos de nossos confortos e sonhos e encararmos a realidade dessas “maravilhas” do mundo. Não encontrei a fantasia que a indústria do turismo me vendeu. Mas o que descobri foi algo muito mais rico e que mudará minha forma de viver e viajar o mundo no futuro.”

Você pode conferir mais projetos da artista em sua página oficial.

PIRÂMIDES DE GIZÉ, EGITO

COLISEU, ITÁLIA

STONEHENGE, REINO UNIDO

GRANDE MURALHA DA CHINA

CHICEN ITZA, MÉXICO

PETRA, JORDÂNIA

MOAIS, ILHA DE PÁSCOA

MACHU PICCHU, PERU

Todas as fotos: Trina Merry

_

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE:

Fotógrafo registra estradas escuras e solitárias ao redor do mundo

Fotógrafo registra incríveis imagens aéreas

Fotógrafo retrata os encantos da ilha Phu Quoc, no Vietnã

A vida desse fotógrafo nunca mais foi a mesma após passar dez dias na Islândia

Destaques,Dicas,Fotografia Bruna Sturzbecher 10 dez 2015

Deixe seu cometário