As geleiras da Islândia

A Islândia é conhecida como “Terra do Fogo e do Gelo“, devido a presença de vulcões (ativos e inativos) e geleiras ao mesmo tempo. Mas quantas geleiras existem no país? Onde elas estão e o que elas são, exatamente?

Uma geleira é um bloco de gelo bem largo e persistente. Elas se formam na terra, quando a neve permanece por um longo tempo em um mesmo local, até virar um bloco de gelo. Através dos anos (e até mesmo séculos), toda a neve do local acaba sendo comprimida até virar uma massa de gelo espessa. As geleiras também conseguem se mover, como se fossem rios bem lentos. Por causa disso elas acabam se deformando e como consequência criam fendas, rachaduras e até mesmo cavernas de gelo.

Na Islândia existem vários vulcões e muitas geleiras foram formadas no topo deles. Quando os vulcões entram em erupção, essas geleiras derretem rapidamente, criando rios destrutivos e devastadores, que os islandeses chamam de jökulhlaup. 

Mais de 10% do país é coberto por geleiras. Abaixo, segue uma lista com as principais:

Vatnajökull

Vatnajökull (pronuncia-se Vatnaiokull) é a maior geleira da Islândia e da Europa! Está situada no sudeste do país e é tão larga que possui várias línguas de gelo (partes da geleira que se movem para outras regiões), onde cada uma delas possui um nome diferente.

É nessa geleira que fica o lago Jökulsárlón, que já falamos por aqui. O Parque Nacional Vatnajökull, que cobre toda a área da geleira e os arredores é também considerado o maior Parque Nacional da Europa, com cerca de 12,000 km².

Langjökull

Langjökull é a segunda maior geleira da Islândia. O nome dela significa “longa geleira”, devido a forma que ela se apresenta. Fica no oeste das highlands do país e pode facilmente ser vista dos gêiseres (no Golden Circle, como já vimos por aqui) e possui dois vulcões ativos!

Hofsjökull

Hofsjökull é a terceira maior geleira do país e fica no meio das highlands. Hofsjökull é também o maior vulcão ativo da Islândia, que como consequência, se tornou a fonte de vários rios, inclusive do rio Þjórsá, o mais longo da Islândia.

Mýrdalsjökull e Eyjafjallajökull

Novamente, não me perguntem como se pronunciam esses nomes! O segundo eu levei mais de um ano pra aprender e ainda assim me atrapalho. Mýrdalsjökull é a quarta maior geleira do país e fica ao lado da Eyjafjallajökull, que é a sexta maior (vamos falar da quinta em seguida). Ambas estão situadas no sul do país.

Embora Mýrdalsjökull seja maior do que Eyjafjallajökull e possua o vulcão mais ativo do país, o vulcão KatlaEyjafjallajökull é a mais conhecida, isso porque um vulcão bem menor, que está situado nele, entrou em erupção e ficou conhecido como o vulcão causou um alvoroço nos tráfegos aéreos da Europa em 2010.

Drangajökull

Drangajökull fica nos famosos Westfjords e é a quinta maior geleira da Islândia. É também a única geleira da Islândia que não diminuiu de tamanho nos últimos anos e também a única que está totalmente abaixo de 1000 metros.

Snæfellsjökull

Snæfellsjökull não é uma das maiores geleiras do país (está apenas em 13º lugar), apesar de ser a mais famosa de todas, mas infelizmente está com seus dias contados. Fica bem na ponta da península de Snæfellsnes e pode ser vista de Reykjavík em dias de sol.

A pequena geleira é a jóia do Parque Nacional Snæfellsjökull, um dos três parques nacionais do país e como muitas outras geleiras, Snæfellsjökull também é um vulcão, o mesmo vulcão que se tornou famoso por causa do livro “Viagem ao Centro da Terra” de Julio Verne, sendo, na trama, o ponto de entrada para o centro da terra.

Desafio: tente pronunciar o nome dessas geleiras.

Fonte: Guide To Iceland

 

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DE:

As 25 coisas mais estúpidas para se fazer em uma viagem pela Islândia

O casal que decidiu viajar pela Islândia ao invés de uma festa de casamento tradicional

Baleias em Husavík, Islândia

Aurora Boreal na Islândia

Destaques,Dicas,Islândia,Natureza Bruna Sturzbecher 27 out 2015

Deixe seu cometário